Família

24/01/2014 18h13

TPM do Bem: respeite o tempo dela

Entenda o que se passa com a mulher durante o período pré-menstrual

Por Nosso Bem Estar

KEITHPIX/ ISTOCKPHOTO/ NBE
028 keithpix istockphoto nbe

Muitas mulheres se sentem reflexivas e preferem ficar sozinhas nesses dias

Mulheres são seres cíclicos. Todos os meses passam por transformações profundas em seu corpo. São mutantes como a Lua. Seu ciclo pessoal tem 28 dias, o tempo médio de uma lunação. E, para a maioria delas, pelo menos uma semana por mês é marcada por um turbilhão de sensações e emoções à flor da pele. Isso nos casos mais simples, porque, para muitas, esses dias trazem dor, mal estar e uma série de outras instabilidades causadas pela oscilação hormonal.

É a famosa TPM. Tensão Pré-Menstrual, como é chamada técnicamente. Mas também poderia significar Tempo Para a Mulher. Sim, é preciso respeitar o momento delas. E as reações de cada uma variam de acordo com a vida que levaram durante o ciclo que passou. Algumas se sentem cansadas, com vontade de ficar quietas. Outras são mais carentes e precisam de companhia. Em todos os casos, este deve ser tratado como um momento especial, em que muitas reflexões vêm à tona. Se há algo deixando ela insatisfeita, esta pode ser a hora em que isso vai aparecer.

É muito mais do que “chatice” ou “frescura”, como a maioria dos homens considera. E também não se trata de um distúrbio, mas de um efeito natural. As alterações de humor são o reflexo fisiológico do corpo pelo aumento da progesterona (hormônio que prepara o útero para a gestação) e da testosterona (hormônio constante nos homens e cíclico na mulher). Pelo menos 30% das mulheres se queixam de sintomas típicos da TPM todos os meses.

Tomar consciência disso já ajuda bastante. Tanto a mulher, que compreende sua natureza cíclica e passa a se alinhar com este aspecto, quanto aqueles que convivem com ela. Nesses dias é importante reservar tempo para fazer o que quiser, ou para não fazer nada. Evitar compromissos desnecessários também pode preservá-la de despertar sentimentos incômodos. A regularidade do ciclo menstrual e a TPM são totalmente relacionadas ao nível de estresse.

Pode ser melhor

Apesar dos sintomas serem respostas naturais do corpo, a maioria das mulheres sabe que eles não são nada agradáveis. A prática regular de exercícios aeróbicos, além de aliviar o estresse, mantém os níveis hormonais mais estáveis. E isso pode atenuar ou até evitar as alterações de humor.

Sintomas da TPM que ocorrem cerca de 10 dias antes da menstruação podem ser causados por baixas de cálcio e vitamina B6 no organismo. Então aposte em alimentos ricos em cálcio, como leite, iogurte, queijo, peixes e vegetais verdes. Para suprir a vitamina B6, consuma banana, batata, lentilha, carnes, grãos integrais, vegetais, abacaxi, manga e milho. 

Para combater o inchaço, recorra a óleo de prímula, ginko biloba, chá verde, melancia, melão e alcachofra. Estimulantes, como o chá preto, café e chocolate devem ser evitados neste período.

Sintonia com o corpo

Outra prática recomendada é a Yoga. Ela aumenta a sintonia da mulher com seu corpo, equilibra as emoções e ajuda a aliviar cólicas. Alguns exercícios respiratórios estabilizam as emoções, tonificam o fígado, equilibram o sistema endócrino e, assim, ajudam a regularizar o ciclo. Durante o período menstrual também é bom fazer, mas é melhor evitar esforço intenso, as inversões e flexões para trás.

Às vezes ela fica tão desequilibrada emocionalmente pelo acúmulo de atividades que exerce, que isso afeta o seu ciclo. Pode ocorrer um atraso, um adiantamento ou a menstruação simplesmente não vem. As posturas de flexão para trás, torções e inversões ajudam a acalmar o sistema nervoso, revitalizam os órgãos abdominais e o sistema endócrino. Portanto, são recomendados para antes da menstruação.

Sabedoria ancestral

“Mulher é bicho esquisito, todo mês sangra... Um sexto sentido maior que a razão.”

A letra de Rita Lee remete a um tempo em que a mulher era venerada como divindade. O seu sangue era considerado sagrado por muitas tradições antigas, representando a conexão com a Terra e todo o seu poder. A mulher menstruada possuia poderes mágicos. Índias, maias, celtas e bruxas se retiravam em tendas femininas durante o período menstrual, e lá faziam as previsões para a aldeia, e também as curas necessárias.

Considerado como indesejável por muitas mulheres modernas, o ciclo menstrual era celebrado naqueles tempos, pois a vivência de tantas oscilações trazia muita sabedoria à mulher. Tanto que, quando entrava na menopausa, era considerada uma anciã, passando a integrar conselhos de matriarcas que gerenciavam as decisões das tribos.

Hoje esquecidas dessa herança ancestral, sem Tempo Para Meditar e muitas vezes colocadas como rivais por influência de uma sociedade patriarcal, muitas mulheres deixam de absorver os ensinamentos que chegam junto com as variações emocionais. Mas um movimento de resgate desta cultura cresce nesse momento no mundo todo, especialmente na América Latina. Muitos círculos femininos tem sido realizados para que a mulher volte a vivenciar o seu ciclo com consciência.

A mulher e a Lua
Cristine Muller Takua*

"Nós mulheres, andamos distraídas! Andamos esquecidas dos ciclos que regem o fluxo natural da vida. Esquecemos de olhar para o céu, de conectar com nossa Avó Lua e reconhecer, que como as marés, somos regidas por sua grandiosa influência. 

A Lua influencia os ciclos de plantações e de colheitas, as águas dos rios e oceanos, o que este astro de nosso planeta não faria em nosso corpo que é formado de mais de 90% de água? 
Seria demasiada pretensão pensar que não recebemos sua poderosa influência em nossos ciclos pessoais. 

A mulher também é regida por um micro ciclo lunar pessoal, conhecido como ciclo menstrual, aqui chamaremos esse Ciclo de Lua Pessoal. Esse conhecimento esta presente na cultura dos povos antigos, os nativos norte americanos chamavam o ciclo menstrual de “lua”, justamente por sua relação cíclica direta com a Lua Planetária, essa Lua Cósmica que rege os Ciclos Naturais de Vida em nosso planeta Terra. 

Se olharmos com mais atenção, esse Ciclo Lunar Pessoal se parece muito com o Ciclo Lunar Cósmico, que possui 4 etapas: Lua Nova, Crescente, Cheia e Minguante. Em nosso corpo, esse ciclo se manifesta na maturação do óvulo e pela ação hormonal de nossas glândulas endócrinas. Observando nosso óvulo, vemos que ele cresce, como uma Lua em nosso corpo. Poderíamos comparar seu crescimento com as fases da Lua. 

O Ciclo Lunar Pessoal reproduz o que ocorre no macro cosmo externo, assim como a lua cósmica, tem em média 28 dias, isso não é uma coincidência, é um alinhamento natural, onde o micro cosmo de nosso corpo, se ajusta ao macro cosmo lunar. Cada fase do ciclo dura em média 7 dias, como as fases lunares, portanto alinhar o ciclo pessoal com o ciclo cósmico, não deveria parecer algo raro, ou estranho ao nosso corpo. 

Mas porque não costumamos pensar sobre isso? Porque sentimos que isso parece uma idéia estranha ou coisa de 'bruxas', de 'naturalistas'? E seguimos ignorando essa realidade hormonal?"

Leia o texto completo e conheça as conexões entre o ciclo feminino e a Lua clicando aqui

*Cristine Muller Takua é terapeuta holística com formação em Enfermagem, Comunicação em Saúde, Reiki, Yoga, Ayurveda, Xamanismo, experiência vivencial com grupos indígenas no Brasil, Bolívia e Peru, focalizadora de Círculos femininos. 

Fontes: Terapeuta Cristine Muller Takua, Blog Outros Olhares – www.evolucao-outrosolhares.blogspot.com.br, Papo Feminino – www.papofeminino.com.br, Personare – www.personare.com.br 

X