Saúde Integral

23/05/2016 09h00

Você tem o costume de misturar remédios?

Conheça os perigos da automedicação. A prática pode pôr em risco a sua saúde e a das pessoas que você ama

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Medications 257351 960 720

Qualquer medicamento, quando utilizado de forma irracional, pode fazer mal à saúde.

É extremamente comum tomarmos analgésicos quando surgem dores nas costas ou na cabeça, por exemplo. Praticamente todas as pessoas têm um comprimido desse tipo na bolsa, para casos de emergência. Se você já tomou remédios que não foram receitados por um médico, está entre os 80 milhões de brasileiros (76,4% da população total) que têm esse hábito (80% na região Nordeste). Porém, automedicar-se pode gerar graves consequências, como:

  • Piora dos sintomas, podendo gerar internação;
  • Reação alérgica ao composto do medicamento;
  • Mascaramento de doenças graves, que apareceriam caso o remédio não tivesse sido administrado;
  • Estímulo de lesões nos órgãos, como fígado, rins, intestino, estômago e até na medula;
  • Alterações na coagulação sanguínea, provocando hemorragias;
  • Gastrite, sangramento, diarreia, vômito, náuseas;
  • Eliminação inadequada de água e sais minerais, como sódio, potássio, cálcio e magnésio;
  • Morte (são 20 mil falecimentos por ano causados pela automedicação).

Uso indiscriminado de antibióticos

Mas não são somente os analgésicos que fazem parte das estatísticas de automedicação. Os antibióticos são consumidos por conta própria em caso de infecções ou inflamações severas, podendo gerar resistência aos micro-organismos.

Ou seja, como possivelmente a dose administrada não foi adequada, já que não houve recomendação médica, os vírus ou as bactérias ficarão resistentes e não serão combatidos por esse remédio. Com isso, ficam mais fortes, agravando a doença e retardando o processo de cura.

Doses inadequadas de medicação

Alias, a dose é outra questão importante, pois o agravamento do problema também pode acontecer quando o paciente recebe receita médica, mas toma doses maiores para combater a doença mais rapidamente, segundo seus pensamentos. Essas pessoas correspondem a 32% dos brasileiros.

Automedicação e interação com outros medicamentos

O uso de remédios por conta própria pode ser ainda mais grave se a pessoa tomar outros tipos de medicamentos. Ou seja, quem tem diabetes, por exemplo, pode ter seu quadro piorado por um remédio que foi tomado para combater dor de cabeça.

A interação medicamentosa, nome dado quando dois ou mais medicamentos são tomados, pode reduzir ou aumentar o efeito dos remédios, gerando consequências desastrosas.

Os médicos são as pessoas mais recomendadas para indicar medicamentos, pois eles sabem exatamente como combinar medicamentos e fazer com que a melhora dos sintomas seja possível, sem maiores danos.

Uso irracional de medicamentos e gripe H1N1

Qualquer medicamento, quando utilizado de forma irracional, pode fazer mal à saúde. Porém, a população médica está bastante preocupada, especialmente devido aos surtos de gripe suína, também conhecida como H1N1.

É preciso evitar o uso de medicamentos por conta própria, por mais inofensivos que possam parecer. Siga as recomendações de prevenção de doenças, inclusive a H1N1, e só tome remédios que forem receitados por profissional de saúde especializado.

Tenha alimentação saudável, rica em frutas, verduras e legumes; pratique exercícios físicos; use álcool gel sempre que possível. Proteja-se contra essa e outras doenças sem automedicar-se.  A sua saúde e a de sua família agradecem. Lembre-se: automedicação pode matar.

X